22 de fevereiro de 2014

Mama | Filme 2013 | ANÁLISE | CRÍTICA | TRAILER


Diferente dos repetitivos filmes de terror onde tudo começa com a aquisição de uma casa nova, ou com um grupo de amigos drogados e tarados, o filme Mama vem no caminho da inovação no quesito história.

A história é de duas crianças que foram abandonadas pelo pai numa cabana sozinhas, pouco tempo depois elas criam uma mãe 'imaginária' chamada 'Mama' e são criadas por ela, depois de anos os familiares vivos das crianças as encontram e as levam de volta para vida, mas nem imaginam quem irá com elas.

Talvez uma das melhores produções de terror e suspense dos últimos anos, um elenco bom e necessário para a trama ficar ainda mais realista, as protagonistas são as duas crianças, Lilly e Victoria, interpretadas pelas atrizes Isabelle Nélisse e Megan Charpentier mas quem toma mais a cena além de mama é a atriz Jessica Chastain que faz a personagem Annabell. A criatura de mama, pode ser considerado uma das criaturas mais originais dos últimos anos; pela queda sofrida, ossos quebrados e deformação se fazem presentes mesmo como espírito, dando aquele toque assustador a mais.

O filme comete alguns equívocos, como concordâncias nos horários, como entrar na mata de dia e encontrar Annabel de noite na mesma mata. Mas são erros que não atrapalham a história.

Uma das partes mais interessantes do filme, é perto do fim, quando Annabel finalmente mostra para mama o que ela tanto procurava, e quando finalmente o espirito vai se libertando e se contentando com a situação, Lilly grita ‘mama’, Mama então muda seu foco novamente.

Sem dúvidas a forma como esse filme termina é inesperado pelo telespectador, e surpreendente pra quem já não aguentava mais finais clichês.




JUNTE-SE A NÓS

LEIA MAIS SOBRE