15 de abril de 2014

Unidos de Vila Isabel contrata novo carnavalesco



A Unidos de Vila Isabel tem novo carnavalesco. O experiente Max Lopes parte para sua sexta passagem, depois de um carnaval sem grande expressão na São Clemente. Max demonstrou toda sua felicidade.

- Estou muito otimista. Sinto-me como um jovem para voltar à velha casa. Prometo muito trabalho e estou absolutamente radiante com esta nova oportunidade.

Nem a situação política da Vila o preocupa. Lopes garante ser um carnavalesco de consenso e revela até uma possibilidade de entendimento dos setores da escola.

- Está tudo tranquilo quanto à questão política. Estou acertado com todos os setores e poderes e parece que termos chapa única na eleição da escola. De qualquer forma o desfecho será ótimo pra todas as partes.

Lembrado por desenvolver enredos marcantes na Vila Isabel, o artista relembra carnavais passados e elege o seu favorito. Além disso, afirmou que o enredo já está praticamente escolhido e os pensamentos voam na direção de um carnaval de recuperação.

- Eu amo todos os meus carnavais, mas tenho um carinho especial pelo primeiro que fiz na Vila, ‘parece que foi ontem’, de 1985, que transformou uma escola que vinha de de um resultado ruim e alcançou um terceiro lugar, brilhante para os padrões da época. Estou esfregando as mãos para promover uma revolução, um explosão de alegria, num enredo que vem por aí, vibrante – finalizou.

O anúncio do nome de Max reforça o que vem se comentando nos bastidores do Carnaval. A Vila Isabel, que tem eleições previstas para as próximas semanas, teria a chapa “Por amor à Vila”, liderada por Elizabeth de Aquino, a Beta, atual vice-presidente da escola, como a única inscrita. A escolha de Beta para presidir a escola teria sido fruto de um acordo mediado pelo ex-presidente da Liga das Escolas de Samba, Ailton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães,que presidiu a agremiação na década de 1980. Pelo que teria sido acertado, o principal opositor de Beta, o atual presidente de honra da Vila, Wilson Moisés, desistiria da disputa. O filho dele, Wilsinho, presidente da escola, renunciaria nos próximos dias para que Beta assumisse imediatamente a escola. Na composição para tirar a agremiação da crise político-financeira em que se encontra, teria sido acordado que Wilsinho seria o futuro diretor de carnaval, e Rita de Cássia, mãe dele e ex-mulher de Moisés, continuaria responsável pelo ateliê de fantasias.

A escola, no desfile deste ano, foi a 10ª colocada e entrou na Avenida com fantasias e alegorias incompletas, por falta de recursos provenientes de dívidas com fornecedores.

Max Lopes, que já foi campeão pela Imperatriz Leopoldinense e pela Mangueira, assinou cinco enredos na azul e branco (1985, 1986, 1987, 1995 e 1996).


JUNTE-SE A NÓS

LEIA MAIS SOBRE