10 de junho de 2014

Análise do CD 'Criador do Mundo' de Daniela Araújo





É maravilhoso ver o progresso desta pequena notável. Desde o começo da carreira até hoje (e não me refiro apenas ao ano de 2011, quando lançou "Daniela Araújo", mas desde a sua infância) Daniela Araújo vem mostrando um crescimento surpreendente e o que já era lindo, fica, a cada dia, mais perfeito. Tia Dani (como seus fãs costumam chamá-la) já tem mais de dez trabalhos gravados desde criança, junto de seus irmãos Jorginho, Elen Diana e Suelen (a Turma do Barulho), onde, inclusive, gravou sua primeira composição "Eu sei que Jesus me ama". No entanto, para nossa alegria, resolveu também há alguns anos apostar na carreira solo e se deu super (super!) bem.

Em 2011, ela lançou o seu primeiro disco solo, intitulado "Daniela Araújo", que alavancou-a a nível nacional, mostrando a todos quem era aquela moça pequena, mas de coração e voz gigantes. Com canções como "Guia-me", "Dono dos meus dias" e "De D-S", logo o CD virou sucesso de vendas e passados dois anos, era chegada a hora da espera enlouquecedora por parte dos fãs de boa música por "Criador do Mundo", CD que esteve ao nosso alcance agora no fim do primeiro semestre de 2014. E chegou com tudo para nos surpreender e reiterar aquilo que já disse anteriormente, que: o que já era lindo, fica, a cada dia, mais perfeito.

Neste segundo álbum solo, a Sra. Gonçalves traz características que não estavam tão evidentes em "Daniela Araújo": uma pegada mais rock, mas nem tanto, uma leveza, que não é tão leve. As músicas de uma ponta à outra do disco trazem letras carregadas de significados, onde não se pode simplesmente "ouvir" a música, antes, faz-se necessário interpretá-las, pois, assim como as Sagradas Escrituras (algo presente "até no tutano do osso" desse CD, como diria minha avó), quanto mais as analisamos, mais temos algo para ver, buscar, refletir.


Com uma temática voltada à crítica para um mundo cristão que se exalta e deixa de lado a importância de amar, de pensar no próximo, para focar-se apenas em seus interesses, julgando até ser mais justo que o próprio Soberano; o arrependimento de quem um dia falhou, a busca pela redenção através da Verdade e o desejo de fazer a diferença, espalhando que o Amor é capaz de quebrar todo jugo, são algumas das marcas que perpassam por todo o disco, como se cada música fosse uma complementação da outra, como se a cada frase cantada houvesse mais e mais a se dizer, e combater e, na verdade, há.

Com participações de peso, como Leonardo Gonçalves (esposo), Lito Atalaia e Tiago (dos Arrais), além do lindo coral infantil da Aldeia Nissi (Angola), CDM é daquele seleto grupo de discos que não saem da cabeça de quem quer que seja: dos que amam uma excelente produção, dos loucos por uma bela voz, dos desesperados por letras edificantes e, mais ainda, daqueles que gostam de tudo isso junto.

Eu poderia continuar aqui a tecer elogios eternos a esta que, sem dúvida alguma, é uma das melhores produções já vistas no gospel nacional e um dos melhores projetos lançados este ano, mas na esperança de que me leiam até o fim, devo parar por aqui, mas não sem antes sintetizar: Criador do Mundo veio como um despertar para a igreja moderna, chamando-nos ao Primeiro Amor, lembrando-nos do puro e simples evangelho, não do ponto de vista estereotipado, como muitos tentam mostrar, mas através da coisa mais fantástica, sublime e verdadeira que existe, o amor de D-S manifesto "em" e "por" nosso viver.




JUNTE-SE A NÓS

LEIA MAIS SOBRE