18 de julho de 2014

O que aconteceria se a terra parasse de girar?



Você já parou pra pensar no que aconteceria se a terra simplesmente parasse de girar?? Pois é, pra muitos esse acontecimento não seria de grande alteração em nossas vidas, e acreditem, tem uns que nem sabem que ela gira. (risos)

Imagine que você está dirigindo um carro em alta velocidade e sem cinto de segurança. Num instante equivalente a um segundo você cochila, abre os olhos completamente assustado bem de frente a um poste e a sua única reação é frear bruscamente o automóvel. Sabe o que aconteceria com você não é?

Isso mesmo, você voaria a uma distância suficientemente capaz de te fazer ir dessa para melhor. O mesmo iria acontecer se a terra parasse de girar repentinamente em torno dela mesma. E isso não é tudo, além de todas as pessoas voarem a uma distância bastante considerável, temos que levar em consideração a presença de edifícios, casas e construções gigantescas que também seriam socados para longe. E se por muita sorte alguém ainda conseguisse sobreviver, as consequências deste acontecimento iriam fazer essas pessoas pensarem que teria sido melhor ter ido embora muito antes. Por quê?

O movimento brusco da terra poderia se assemelhar a terremotos de grandes magnitudes que provocariam ondas gigantescas. Partindo desta suposição vocês já podem imaginar o estrago e a catástrofe que ocorreriam não é mesmo? Além disso, o vento em alta velocidade poderia nos brindar com um incêndio em todo o planeta. O núcleo da terra, consequentemente também pararia de girar o que faria a mesma perder seu campo magnético que a protege.

Ainda tem mais:

Esqueça a forma como os dias, noites e estações do ano são distribuídos, nada disso aconteceria da mesma maneira como acontece com a terra girando. As noites e os dias seriam distribuídos conforme o movimento de translação da terra, aquela em que a terra gira em torno do sol, fazendo com que os dias demorassem seis meses e as noites também seis meses. No que isso resultaria?

Um lado da terra ficaria exposto excessivamente ao sol, enquanto o outro ficaria na escuridão. Isso afetaria os ecossistemas de ambos os lados que não suportariam a exposição do calor e nem o excesso de frio. Nas regiões polares as consequências seriam menos significativas porque os raios solares chegam à região com menos intensidade o que faz com que a exposição daquele ecossistema não seja excessiva. Por outro lado, nos continentes a vegetação desapareceria, os animais que precisam da vegetação morreriam de fome e nós, seres humanos, que precisamos da vegetação e dos animais para a nossa sobrevivência também morreríamos.

Também existe a possibilidade da terra parar gradativamente, não sentiríamos a fúria de um movimento brusco, mas as consequências seriam as mesmas e o primeiro indício seria a percepção de que a noite está ficando mais longa em uma parte do planeta e noutra, o dia.

Segundo alguns físicos a terra gradativamente está perdendo sim a sua aceleração, no entanto isso está acorrendo a cada século. Os dias, a cada cem anos ficam cada meio segundo mais longo. Mas não precisamos nos preocupar. Será preciso 120 mil anos para que os dias fiquem pelo menos uma hora mais longos que as noites.

JUNTE-SE A NÓS

LEIA MAIS SOBRE